Camposampiero – O trânsito de Santo Antônio

campo Em Outubro de 1226 morreu Francisco de Assis. Antônio assistiu à canonização de São Francisco em 1228. Neste ano deslocou-se a Ferrara, Bolonha e Florença. Durante 1229 as suas pregações dividiram-se entre Varese, Bréscia, Milão, Verona e Mântua. Esta atividade absorvia-o de tal maneira que passou a dedicar-se exclusivamente a ela. Em 1231, e após contatos com o papa Gregório IX, regressou a Pádua, sendo a quaresma desse ano marcada por uma série de sermões da sua autoria. Durante sua segunda estada em Pádua, Antônio ficou morando no convento dos frades menores situado junto da igreja Sancta Maria Mater Domini. Nesse lugar, ergue-se hoje a Basílica do Santo. Após voltar de Verona, Antônio ficou pouco tempo ali. A viagem para Verona tinha exaurido ainda mais as suas forças, que aliás já iam definhando cada vez mais. Sentia-se cansado e ansiava por sossego. O verão que se aproximava desaconselhava sua permanência na cidade, onde o calor abafadiço não lhe permitia nenhum repouso. Por isso quis ir para Camposampiero, na zona rural, distando de Pádua dezoito quilômetros. Aí o Conde Tiso VI possuía um castelo. Ele era um amigo fiel e prestativo do santo; sua afeição se estendia também aos confrades do santo e o tornava um benfeitor generoso. Ele tinha doado aos frades menores um eremitério e uma capela em suas terras. Camposampiero é uma comuna italiana da região do Vêneto, província de Pádua, com cerca de 10.667 habitantes. Estende-se por uma área de 21 km2, tendo uma densidade populacional de 508 hab/km2. Faz fronteira com Borgoricco, Loreggia, Massanzago, Piombino Dese, San Giorgio delle Pertiche, Santa Giustina in Colle, Trebaseleghe. Numa tarde, um conde dirigiu-se à cela de Antônio. Ao chegar, viu sair de uma brecha um intenso esplendor. Empurrou delicadamente a porta e ficou imóvel diante de uma cena prodigiosa: Antônio segurava nos seus braços o menino Jesus! Quando despertou do êxtase pediu ao conde que não revelasse a ninguém a aparição celeste. Na propriedade do Conte Tiso havia uma enorme nogueira, cujos ramos se estendiam a grande distância. O Conde mandou construir entre os galhos e ramos da nogueira uma cabana como se fosse um ninho. Antônio gostava de retirar-se para esse lugar. A velha nogueira já não existe mais. O Castelo do conde Tiso desapareceu completamente no decorrer do tempo. A velha igrejinha em Camposampiero, dedicada a São João, foi reformada e renovada diversas vezes; o mesmo ocorreu quanto ao conventinho dos frades menores situado aí. Em todas as reformas e mudanças sempre foi poupada a cela de Santo Antônio. Era um pequeno espaço de 4,2 m de comprimento por 2,65 m de largura. O trânsito de Santo Antônio Destruído pela fadiga e pela hidropisia e asma, sentiu que a hora do seu encontro com o Senhor estava se aproximando. Desejou ir para a igreja de Santa Maria, mas estando muito debilitado, parou em Arcella, que encontra-se às portas de Pádua. Ali morreu aos trinta e seis anos após pronunciar as palavras: “Video Dominum Meum” (Vejo o meu Senhor). Era 13 de Junho de 1231. Os seus restos mortais repousam na Basílica de Pádua, construída em sua memória. Foi canonizado pelo Papa Gregório IX, na catedral de Espoleto, em Itália, em 30 de Maio de 1232. Foi proclamado doutor da Igreja pelo papa Pio XII, em 1946, que o considera «exímio teólogo e insigne mestre em matérias de ascética e mística». (1) Almanaque de Santo Antônio, "Santo Antônio, nosso padroeiro", de Frei Agostinho S. Piccolo, 2003 (2) "Santo Antônio, vida e doutrina", Lothar Hardick, Vozes (2) Frei João Mamede, "Um pouco de sua biografia