Santo Antônio ensina como chegar mais perto de Deus

Moacir Beggo

Rio de Janeiro (RJ) – O segundo dia da Trezena de Santo Antônio, neste sábado (2 de junho), no Convento Santo Antônio do Largo da Carioca (RJ), foi celebrado durante a Eucaristia presidida por Frei Hermenegildo Curbani e coube ao jovem Frei Erick de Araújo Lazaro, que está no Ano Missionário antes da Teologia, fazer a pregação tendo como tema “Santo Antônio, chamado à identidade”.

Frei Roger Brunório fez a acolhida dos fiéis no início da Celebração que começou às 10 horas e lembrou que Frei Hermenegildo é vigário paroquial em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, onde está uma das fraternidades franciscanas da Província da Imaculada. Outras estão em Duque de Caxias, em Nilópolis, em Niterói, na Rocinha, em Petrópolis e no Largo da Carioca com o Convento Santo Antônio, que está celebrando neste ano 410 anos do lançamento de sua pedra fundamental.

Na procissão de entrada, Frei Erick de Araújo Lazaro carregou a cruz à frente, vindo atrás os estandartes de Santo Antônio, o andor e as colaboradoras do Convento, ministras, membros do povo e o presidente da Celebração.

Para o pregador, não é difícil identificar Santo Antônio. “Basta olhar para sua imagem e perceber alguns elementos que são claros da sua identidade: o Menino Jesus, o lírio nos braços, a Palavra de Deus nas suas mãos, o hábito marrom”, disse.

Mas, para Santo Antônio chegar a essa identidade, a esses elementos, segundo o frade pregador, ele fez uma experiência cristã, que começou no berço com seus pais e se tornou maior quando estudou Teologia e se especializou nas Sagradas Escrituras. “Ele não fez isso para ter um título de doutor, mas para se aproximar-se do Cristo, aproximar-se ainda mais de Deus”, acrescentou.

“E essa proximidade com Deus fica bem visível quando, na sua cela, Nossa Senhora aparece e lhe entrega o Menino Jesus. Aos frades que viram esse milagre, ele pediu que contassem depois de sua morte. Essa proximidade com o Menino Deus, essa amizade com Nosso Senhor, todos somos convidados a fazer. Somos batizados, crismados e confirmamos nossa fé no Espírito Santo. Dentro de nós devemos ter a certeza de que Jesus caminha conosco. É necessário que a gente faça a experiência de Cristo, que eu deixe ele estar dentro de mim”, ensinou.

Segundo o frade, essa experiência muitas vezes para em águas rasas. Nas primeiras dificuldades, o mundo desaba. “Deus me abandonou, Deus não está ao meu lado, por que Deus deixou uma coisa dessa acontecer na minha vida? Ou seja, falta ir mais fundo nessa experiência”, indicou, lembrando que Santo Antônio sofria uma doença chamada hidropsia, que é o acúmulo de água nos membros do corpo. “Mas ele não se deixava abater nas andanças e pregações”. Para Frei Erick, Santo Antônio tinha a alegria do Ressuscitado. “O Papa Francisco diz que o cristão não deve ter cara de sexta-feira santa. Cara triste, sofrida, amargurada. Mas precisa ter a alegria do domingo de Páscoa, a alegria do Ressuscitado. Essa é a alegria do cristão. Não há motivo para se entristecer. Não há problemas que vão tirar nossa alegria porque a gente serve esse Deus com alegria”, indicou.

A identidade cristã, a identidade de Santo Antônio, é a alegria. Assim deve ser o cristão. “O convite do tema de hoje, o convite dessa experiência cristã que Santo Antônio faz a cada um de nós, é isso: experimentarmos de fato e acreditarmos que Deus se faz presente em nossa vida, que Deus caminha com gente. Eu sempre costumo usar a analogia de uma criança. Quando o pai coloca a criança no alto e diz: ‘Pula que o pai segura; pula que o pai pega’, a criança não tem medo. Ela confia no Pai. Ela acredita que não vai cair no chão. E Deus faz a mesma coisa conosco. Basta a gente confiar verdadeiramente e se jogar nos braços de Deus. A gente pode ter a certeza, assim como a criança acredita no pai, que Deus não irá nos deixar cair. Estará de braços abertos para nos acolher. Mas nós precisamos abrir o nosso coração para fazer essa experiência do Evangelho”, ressaltou.

“Que a partir dessa Trezena, que a partir dessa experiência cristã, como devotos de Santo Antônio, possamos ter no nosso colo Jesus Cristo sentado!”, conclui Frei Erick.

No final da Missa, o celebrante deu a bênção de Santo Antônio, e aspergiu com água benta pães, lírios e os fiéis. Uma paroquiana ganhou no sorteio da festa uma TV e quem não ganhou poderá levar a imagem de Santo Antônio que vem no andor todo dia na procissão de entrada.

Neste domingo, também às 10 horas, a Trezena terá como tema “Santo Antônio, a missão dos leigos” no terceiro dia.

VEJA COMO FOI O PRIMEIRO DIA DA TREZENA

VEJA MAIS IMAGENS DA CELEBRAÇÃO