Recados de São Francisco

Uma página de sadio otimismo

Não se trata de uma oração a São Francisco, mas de exortações do santo para nossos dias e nossa vida. Sem menção de autor, foi traduzida de texto que apareceu na revista francesa “Prier”, em outubro de 1986.

Meu irmão,
sei muito bem que você está coberto de razões para desânimo
e quase desespero e para reclamar da vida.
Gostaria de lhe dizer, no entanto, que há muitos motivos e razões para deixar levantada a esperança.
Não deixe que seu coração fique impregnado com a maré de terríveis noticias, bárbaras mesmo.
Para mudar o mundo, procure mudar o seu olhar.
Não fixe seu olhar nas trevas.

Eu, Frei Francisco seu pequeno servo peço:
olhe o mundo com os olhos de Cristo Jesus.
Ele, nosso Senhor e nosso Irmão,
sempre levou em consideração os pequenos gestos
como o óbolo da viúva, deixando-se encantar por ele.
Meu irmão,
tente ver como o Reino do amor emerge
lentamente através de mil pequenos gestos repetidos,
gestos de coragem, ternura, garra
que não, sem estardalhaço,
à lógica do dinheiro, do ódio ou da indiferença.

Preste atenção: você vai se surpreender
descobrindo homens e mulheres que, dia após dia,
inventam maneiras novas de viver, partilhar e esperar e que manifestam assim que o Reino de Deus está ao alcance de nossas mãos.

Preste atenção nesses homens e nessas mulheres que,
em vez de ficarem gritando que Deus é cego,
passam a emprestarem-lhe os seus olhos;
em de ficarem dizendo que Deus é desajeitado com suas mãos, emprestam-lhe as suas;
em vez de ficarem bradando que Deus é mudo,
emprestam-lhe sua voz.

Ouça o apelo daquele que chora “porque o Amor não é amado”.
Acorde a força que dorme dentro de você
e que aí foi delicadamente colocada pelo Bom Senhor.

O mundo necessita reencontrar o “olhar do coração”,
colher as flores da esperança para respirar e viver melhor.

Frei Almir Ribeiro Guimarães