Aula de perspectiva no Convento

jovens_estudantes_g10Rio de Janeiro (RJ) – Nem todo mundo sobe o Morro da Carioca para rezar e pedir a proteção de Santo Antônio. O tradicional prédio do Convento,que completou 402 anos no último dia 6 de junho, também é procurado pelos alunos de belas artes, como é o caso das três jovens na foto: Meg, Juliana e Jessiane (da dir.para esq.). Alunas da Escola de Belas Artes da UFRJ, elas estavam fazendo exercícios de perspectiva.

Nota: Define-se a perspectiva como a projeção em uma superfície bidimensional de um determinado fenômeno tridimensional. Para ser representada na forma de um desenho (conjunto de linhas, formas e superfícies) devem ser aplicados mecanismos gráficos estudados pela Geometria descritiva, os quais permitem uma reprodução precisa ou analítica da realidade tridimensional.

Historicamente, o ensino das artes até 1800 cabia às ordens religiosas católicas. Só a partir desta data, por carta régia, foi estabelecida no Rio de Janeiro, por ordem do Príncipe Regente, a Aula Prática de Desenho e Figura, a primeira medida concreta para a evolução do ensino de artes na Colônia, dada por meio de sua sistematização e pela difusão e fixação da arte em si.

Posteriormente, em 12 de agosto de 1816, D. João, já soberano do Reino Unido, por Decreto, criou a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, sob orientação da Missão Artística Francesa, sendo implantada oficialmente a educação artística no Brasil. A partir de 8 de novembro de 1890, a antiga Academia Imperial foi transformada na Escola Nacional de Belas Antes.

No ano de 1931, a Escola passou a integrar a Universidade do Rio de Janeiro e, em 1937, a Universidade do Brasil. Em 1965, a instituição passou a se chamar Escola de Belas Artes incorporando-se a Universidade Federal do Rio de Janeiro