A assunção de Maria aos céus

Assunção de MariaNa tradição da Igreja Católica, bem como na tradição da Igreja Ortodoxa, a Assunção de Maria aos céus encontra respaldo nos Evangelhos Apócrifos. No Evangelho Secreto de Maria, ela mesma afirma: “Se me perguntassem o que espero depois da morte, querido João, diria apenas uma coisa: voltar ao céu. É que eu já vivi no céu. E não durante uma fugaz temporada. Vivi no céu porque estava com Deus, quero dizer, com meu filho, convivendo com ele ao mesmo tempo em que lhe ensinava o pouco que eu sabia”(1).

Diz a tradição apócrifa que certa feita Maria, como de costume, foi visitar o Santo Sepulcro e enquanto estava em orações, apareceu-lhe o Arcanjo Gabriel, deu-lhe uma palma e pediu que ela se dirigisse ao Vale do Cedrón, no Getsêmani, onde lhe seria anunciado uma grande mensagem. Maria obedeceu e lá chegando, apareceu-lhe o Grande Anjo (o próprio Jesus) que lhe anunciou que ela ressuscitaria dos mortos no quarto dia. Mas antes disso, o Grande Anjo lhe entregou o Livro. Maria não entendeu bem do que se tratava. O Grande Anjo explicou-lhe que ela, no momento derradeiro, deveria entregar este Livro aos Apóstolos. E quando chegou o momento de sua despedida terrena, Maria chamou em sua casa (casa de Joaquim e Ana, Jerusalém) os Apóstolos que estavam espalhados em missão em todo o mundo. Segundo a tradição, eles vieram sobre as nuvens. Pedro veio de Roma, Paulo, da Tibéria, Tomé veio das Índias, Tiago, de Jerusalém. Maria explicou como deveria acontecer o seu funeral. A palma deveria ir adiante do cortejo fúnebre. A seguir entregou o Livro a João, que sempre cuidou dela, para que pudesse bem conduzir o legado da tradição. Reúne todos os seus parentes e as virgens de Jerusalém e dos entornos. Pede-lhes que acendam lâmpadas e se mantenham em vigilância. Uma multidão de anjos desce dos céus e Maria adormece. É levada em cortejo e colocada num túmulo especial, no Vale do Cedrón. O Grande Anjo está presente no meio da multidão de convidados terrenos e celestes. Depois de quatro dias, a pedido do Grande Anjo, desce ao túmulo o Arcanjo Miguel e remove a pedra. O ambiente é inebriado pelo perfume celeste e Maria é elevada aos céus em corpo e alma na presença dos Apóstolos, Anjos e Arcanjos (2). Dormição

Maria foi elevada aos céus no quarto dia de sua morte. Ela adormeceu em Cristo e se tornou a protagonista de todos os batizados em Cristo. Que ela interceda por todos nós, para que possamos merecer também a morada celeste!

Frei Ivo Müller, OFM
=========
(1) Texto citado em: Frei Jacir de Freitas Faria, História de Maria, mãe e apóstola de seu Filho, nos evangelhos apócrifos, Vozes, Petrópolis, 2006, p. 143.
(2) Para entender melhor este resumo, convidamos os internautas a lerem, além do livro de Frei Jacir (nota anterior), os Evangelhos Apócrifos: Trânsito de Maria do Pseudo-Militão de Sardes, Livro do Descanso, Livro de São João Evangelista.