4º Dia: “Santo Antônio e a graça do batismo”

Moacir Beggo

 Rio de Janeiro (RJ) – O quarto dia da Trezena de Santo Antônio, no Convento do Largo da Carioca, no Rio de Janeiro (RJ), teve como tema “Santo Antônio e a graça do batismo”. Ao meio-dia, Frei Carlos Alberto Guimarães veio da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Nilópolis para presidir a Celebração Eucarística e, às 18 horas, Frei Carlos Branco foi o presidente.

Frei Carlos Alberto, natural de Volta Redonda, falou de sua alegria por estar celebrando pela primeira vez no Convento depois de 14 anos de ordenação sacerdotal. Segundo o frade, o batismo constitui o nascimento para a vida nova em Cristo. Citando a primeira leitura (Atos 19,1-8), o pregador deste dia disse que o batismo de João era apenas um sinal de conversão. O Batismo que Jesus confiou à sua Igreja é um sinal eficaz, pois realiza a libertação e a renovação de nosso ser, tornando-nos filhos de Deus à semelhança do único Filho.

Segundo o frade, a graça divina jamais falta àquele que, com sinceridade de coração, procura viver segundo o ‘homem novo’, nascido da água e do Espírito. “O batismo constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos, mesmo com aqueles que ainda não estão em plena comunhão com a Igreja Católica”, acrescentou. Para o frade, Santo Antônio soube, pela graça do batismo, ser um “homem novo”, servindo como cristão e filho de São Francisco a Igreja de Cristo.

Frei Carlos citou o Papa Francisco, que pediu para manter viva a memória do próprio batismo, pois nele estão as raízes da nossa vida em Deus.

“ONDAS DE GRAÇA QUE RECEBEMOS DE DEUS”

Frei Carlos Branco presidiu a segunda Celebração Eucarística da Trezena de Santo Antônio, às 18 horas, tendo como concelebrante Frei Odécio Lima.

Sua pregação partiu do Evangelho que Jesus orienta e pede a seus discípulos: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo”. “Esse tema, a graça do batismo, foi mais uma vez posto não só para refletir sobre o sacramento de iniciação, mas, sobretudo, recuperar a motivação inicial que levaram os nossos pais a pedir o nosso batismo na Igreja católica”, lembrou.

Segundo o frade, os sacramentos são ondas de graças que recebemos de Deus. “Pelo batismo tornamos membros de Cristo e participamos de sua missão”, disse, reforçando com o exemplo dos santos, nossos modelos de batizados no Corpo Místico de Jesus. “Vejamos a vida de Santo Antônio. Muitos títulos de Santo Antônio remetem ao compromisso batismal. Como por exemplo, ‘Trombeta do Evangelho’. É bem significativo, porque a missão é levar adiante a Palavra de Deus”, destacou, recordando também o exemplo dos mártires Santos Carlos Lwanga e companheiros, celebrados hoje pela Igreja.

“Irmãos e irmãs, as graças do sacramento do batismo são inesgotáveis, assim como a misericórdia de Deus. Precisamos, como Santo Antônio, absorver com o coração aberto essas graças e revelá-las, exteriorizá-las. Possamos, no cotidiano de nossas vidas, colocar em prática essa graça da glória de Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo!”, completou.

Nesta terça-feira, dedicada a Santo Antônio em todos os conventos franciscanos, o dia será intenso neste Convento no Centro da Cidade Maravilhosa. No quarto dia da Trezena, o tema “Santo Antônio e o Testemunho do Evangelho” será refletido nas Missas das 12 e 18 horas.


VEJA IMAGENS DAS CELEBRAÇÕES DAS 12 E 18 HORAS